Quem sou eu

Minha foto
Porque somos feito as estações, sempre mudando...

sábado, 21 de março de 2020

ADOÇANDO

Nesta semana, meus netos, assim como tantos outros, não tiveram aulas e vão continuar sem por algum tempo. Quanto, ainda não sabemos.
Durante a semana, é rotina eles ficarem comigo no período da tarde, mas com as orientações para nos mantermos em casa, eu, que moro em apartamento, optei por ficar a semana com eles em sua própria casa, onde há espaço e quintal para que corram e brinquem.

Quinta-feira, minha filha antes de sair para o trabalho, foi ao mercado e entre as compras trouxe iogurtes e algumas guloseimas que as crianças adoram e orientou que era um pra cada por dia, pois não se sabe com tudo que está acontecendo, como vai ser sair para ir ao supermercado e se vai faltar alguma coisa nas prateleiras.

Neste mesmo dia, quando vou a despensa pegar a lata de arroz e dar início ao almoço, me deparo com este papel colado na porta:


No primeiro instante achei graça, mas logo após pensei: sim, estamos em guerra, todos procurando maneiras de  combater e se proteger de um mesmo inimigo, o coronavírus.

Aqui onde moro, há uma página na internet onde postam de tudo um pouco, principalmente notícias referente ao que acontece na cidade.
Nessa página, eu li muitas mensagens de jovens se oferecendo para irem ao supermercado ou farmácia e assim - idosos ou aqueles que são do grupo de risco - não precisarem sair de casa.

No meio de tantas informações que circulam pelos meios de comunicação, gerando medo e  incerteza, ler algo assim, adoçou meu coração.
Talvez seja essa a lição com tudo isso, desacelerar para sair do deserto interior e olhar ao nosso redor.

E hoje, para adoçar o coração de quem passa por aqui,  compartilho o link do blog da Ana Paula - "lado de fora do coração" - onde ela divide conosco, palavras açucaradas, numa escrita cheia de delicadeza.

Para fechar essa postagem, deixo a foto que meu neto mais velho tirou no início da semana, dizendo ao passar correndo por mim para pegar o celular:
"Vó, o céu tá lindo, preciso tirar uma foto para mostrar pro meu pai e minha mãe."

Façamos como ele, vamos registrar o que é lindo e dividir uns com os outros. Tornando assim, neste momento conturbado, o dia de alguém mais leve e feliz.

Um abraço cheio de esperança a todos que passam por aqui.


terça-feira, 10 de março de 2020

UM PRESENTE CHAMADO BLOG

Outro dia uma conhecida me perguntou como surgiu a ideia do mulheres 4 estações.
Para quem não sabe, o blog surgiu de um café da tarde, entre eu e mais duas amigas. Falávamos - entre outras coisas - sobre a vida, o auto conhecimento, a importância de olhar para dentro de si.
E foi a partir desse café que surgiu a vontade de nos reunirmos mensalmente, com outras amigas, para um bate papo reflexivo e também, a ideia do blog.
O nome foi escolhido pela simbologia das estações com  as várias fases e sentimentos que vivemos. Assim como em cada estação a natureza muda, nós também mudamos e podemos descobrir nossa força e beleza em toda fase por nós vivida.
Eu já gostava de passear por alguns blogs, espaços que visito até hoje. Mas nunca tinha pensado em ter um, até porque, era completamente leiga nesse assunto.
Quando fizeram o blog eu fiquei responsável de elaborar os escritos, mas eu não sabia como postar, muito menos como colocar uma imagem.
Aos poucos, fui pegando o jeitinho e aprendendo a colocar as postagens e escolher as imagens. Quando surgia uma dúvida eu colocava algum tutorial na internet e ia seguindo o passo a passo.
Confesso que me encantei com esse espaço, com a interação que ele me permite com pessoas que não conheço pessoalmente, mas que ainda assim, as vezes vejo algo e me lembro de alguém, de algum espaço que visito.
Por exemplo, como ver um céu lindo ou uma árvore e não lembrar da Chica e seus blogs?
Depois de alguns anos tivemos que finalizar as reuniões, por não conseguir mais conciliar com nossas atividades profissionais, então o blog passou a ser só meu, por pura afinidade.
Hoje, eu sou a única a ter acesso a ele e o considero um presente.
Alguns meses é mais difícil arrumar tempo (ou criatividade) para fazer uma postagem.  Também demoro um pouquinho a visitar alguns  espaços amigos, mas sempre que o faço é com alegria.
O blog permite que eu conheça pessoas e lugares, ainda que virtualmente. Algumas postagens me fazem rir, outras chorar, outras me dão vontade de viajar, de preparar uma receita nova... Cada uma vai me despertando uma emoção, me dando a oportunidade de conhecer coisas novas.
E assim, continuo eu, cuidando desse meu cantinho com muito carinho.

Finalizo esta postagem com Manoel de Barros:

"Hoje eu desenho o cheiro das árvores".


Desejo que esse cheiro se espalhe...


                                Foto de Silvio Adriano

domingo, 16 de fevereiro de 2020

De vez em quando é preciso sair da zona de conforto e experimentar o novo.
Ter um pouco mais de flexibilidade frente os percalços externos ou internos.
Mas acima de tudo, é preciso atenção e sabedoria, para não se demorar onde não cabe você e sua história.

                                 Foto de Rose A.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

OLHAR ALÉM

Pensei sobre o que poderia escrever para primeira postagem do ano de 2020.
Papel e caneta na mão, comecei a traçar algumas frases de desejos para o novo ano.
Eu poderia desejar muitas coisas, todas embrulhadas em papel poesia, mas achei tudo tão clichê que rasguei a folha.
Resolvi tentar novamente e várias coisas me passaram pela mente, principalmente reflexões que tive na semana que antecedeu o Natal. Mas isso daria assunto para um outro post e não para o primeiro.
O jeito foi escarafunchar meu baú interno, mas nenhuma palavra, nem uma única letra surgiu lá de dentro, só me coube fechar o caderno e deixar isso de lado.
A noite, já na cama, vários pensamentos resolveram espantar meu sono, peguei meu evangelho, o abri de forma aleatória e uma frase me saltou aos olhos: olhai como crescem os lírios do campo.
Isso estava fora do contexto inicial, mas ao ler, me veio nitidamente qual seria o tema e o desenrolar dessa primeira postagem e que sem premeditar, tem ligação com as reflexões que me assolaram a mente antes do Natal.
Algo que tenho tentado aprender e colocar em prática e que pra ser sincera, muitas vezes me esqueço ou me é tão difícil.
Reconhecer que em alguns momentos da vida, devemos esvaziar a mente de todas inquietações que nos atormentam e as quais ficamos procurando respostas.
Buscar o silêncio interior e se deixar tocar pelo amor de Deus.
Amor que acolhe, acalma.
Ver além das aparências e sentir gratidão por tudo que somos e temos.
Relaxar um pouco do peso diário. Ter a sabedoria de silenciar a mente, olhar o horizonte e contemplar a vida em toda sua magnitude.

Essa é a proposta que tenho para esse novo ano, deixar de buscar resposta pra tudo, de me questionar tantas vezes, não pensar tanto - e se - mas sim, me aventurar em apenas viver a vida.
Isso não significa não planejar,  sonhar, desejar, questionar. Mas sim, viver um dia de cada vez, sem o peso de coisas que muitas vezes acontecem só na imaginação e tiram o prazer do momento ou acabam atropelando uma situação.

Então, desejo apenas que ao passar por aqui hoje, você também possa tirar alguns minutos do seu dia para olhar além.
Ver uma situação por outros ângulos e perspectivas.
E que essa forma de olhar, aquiete sua mente e seu coração.

Feliz Olhar Novo!

                                   Foto: Adriele G.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

FAÇA UM PEDIDO



Quem de vocês, na infância, nunca fez um pedido ao soprar as sementes de um dente de leão?
Eu assoprei muitos e fiz vários pedidos, numa fase onde o que importava não era se o desejo se realizaria e sim, ver as sementes sendo levadas pelo vento, isso já fazia a mágica acontecer.
O menino na foto acima é meu neto mais novo, encantado em assoprar seu dente de leão.


Este,  é meu neto mais velho.
Ao visitar com os pais uma igreja num passeio que fizeram, pediu para acender uma vela, pois queria fazer um pedido para uma pessoa da família, que estava precisando muito de oração.
Quando minha filha me mandou a foto dele assim, tão voltado para o Alto na sua fé infantil e me contou sua intenção, me emocionei e tive a certeza que Deus iria atender o pedido feito por seu coração puro.


Ao pensar numa postagem para fim de ano, foi justamente essas duas fotos que me vieram a mente. Encanto, magia e fé, isso que pra mim elas representam, e eu desejo que no Natal que se aproxima, você permita que sua criança interior desperte e possa te inundar com toda magia e encanto que envolve a data Natalina.
Que com a alegria de uma criança, você abrace um por um por um dos seus semelhantes e os envolva em muito amor.
Depois, com fé, faça seu pedido e deixe a mágica acontecer...

Um lindo Natal e Ano Novo, a todas(o) amigas(o) que passam por aqui.
Muito obrigada por mais um ano de troca e aprendizado que a interação nos permite.
Por enquanto, faço uma pequena pausa aqui no blog.
Beijos de paz no coração de cada um e até breve.

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

O SILÊNCIO DO MEU CORPO

Eu tenho um grito preso na garganta.
Palavras que se amontoam na minha mente, mas que não sou capaz de verbalizar.
Eu tenho um abraço guardado no colo, um abraço cheio de amor, de saudades, carinhos que já não sou capaz de fazer.
Eu tenho uma prece murmurada em pensamento, todos os dias. Na fé que acalento na alma, mas que não chega aos meus lábios.
Eu tenho um "eu te amo", um "muito obrigada", "me perdoa" e tantas outras frases que gostaria de dizer e não posso.
Eu viajo constantemente por lugares que não vou conhecer e outros que conheci e não posso mais visitar.
Eu tenho tantos arrependimentos. O carinho que deixei de fazer porque precisava limpar a casa. Eu e essa mania de limpeza.
O perdão que não pedi e que também não fui capaz de conceder, por puro orgulho.
Ah, como eu queria me ver livre dessa prisão chamada corpo.
Como eu queria rodopiar lá fora e sentir o vento, o sol, a chuva.
Como eu queria poder pegar meu neto no colo.
As lágrimas escorrem, mas não de dor física e sim por tudo que não sou mais capaz de fazer, de falar, por tudo que deixei em segundo plano e que hoje, hoje eu sei, eram as coisas mais importantes.
Um dia, espero voar livre das amarras.
Nesse dia, eu abençoarei com meu amor todos que cuidaram de mim e serei eternamente grata.
Nesse dia, terei rompido definitivamente meu casulo e poderei partir com a leveza de  uma borboleta, não sem antes  sobrevoar em volta de cada um dos meus amores e quem sabe, pousar por alguns instantes, no teu ombro.


"Para uma pessoa muito querida, portadora de ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica)"
Sônia A.

                            imagem: Arquivo pessoal


segunda-feira, 23 de setembro de 2019

AMOR NA SIMPLICIDADE

Meu neto mais novo tem 3 anos, é um menino muito extrovertido, falante, com uma energia de dar inveja.
O neto mais velho tem 09 anos, é um menino muito amoroso e carrega no olhar uma ternura imensa.
Sempre que tenho oportunidade procuro fazê-los observar a natureza, na tentativa de despertar neles uma conexão com o verde, o respeito pelo meio ambiente.
Por isso, juntos, fazemos coisas simples, como pisar nas sementes secas caídas nas calçadas - aquelas que fazem crec - eles adoram.
Abraçamos árvores, admiramos pássaros, o céu, conversamos com as flores, fazemos escalda pés com ervas que colhemos na pequena horta que tem no quintal da casa da minha filha.
Como são crianças, sempre  pegamos, duas folhinhas de hortelã e uma de capim cidreira, para cada um deles.
Encho a bacia com água morna e eles já correm colocar os pés.
Além de ajudar a relaxar e acalmar, também desperta na criança o interesse pelas ervas e seus benefícios.
A cidade que moro tem vários ipês, amarelos, brancos e rosas.
A cidade fica florida por dias e dias. Sempre paro com eles para admirar um ou outro.
Os amarelos são vários espalhados pela cidade, por isso meu netinho, assim que vê um já diz: olha vó, o ipê amarelo.
E eu, me sinto muito feliz por compartilhar desse encanto com eles.
Como dizia Manoel de Barros: "...Que a importância de uma coisa não se mede com fita métrica nem com balanças nem barômetros etc. Que a importância de uma coisa há que ser medida pelo encantamento que a coisa produza em nós.”
É assim que quero marcar a infância dos meus netos, com o encantamento por coisas simples, que se abrem diariamente diante dos nossos olhos e torna nossa vida mais leve e bela.
Isso também é uma forma de falar e demonstrar amor.

"Que nessa primavera, possamos nos encantar inúmeras vezes  com o simples - ainda que muitas vezes efêmero - aquele momento único que enche nossos olhos de prazer."

              Uma ótima primavera a todos!


                                  Fotos que fizemos juntos