Quem sou eu

Minha foto
O grupo Mulheres 4 Estações,nasceu do encontro de ideias de 3 mulheres, ao perceberem em si o quanto é prazeroso e enriquecedor a troca de vivencias, já que tantas vezes nos reconhecemos no pensamento e sentimento alheio. Então veio o desejo de compartilhar essa experiencia com outras mulheres..... e assim como a natureza se reveste das estações para se revelar aos nossos olhos,nós nos revestimos do falar e ouvir, para nos revelar a nós mesmas.........

terça-feira, 19 de abril de 2016

AUTOBIOGRAFIA EM 5 PEQUENOS CAPÍTULOS - ( Portia Nelson )

Capítulo 1
Ando pela rua.
Há um buraco fundo na calçada.
Eu caio...Estou perdido...sem esperança.
Não é minha responsabilidade.
Levo uma eternidade para encontrar a saída.

Capítulo 2
Ando pela mesma rua. 
Há um buraco fundo na calçada, mas finjo não vê-lo.
Caio nele de novo.
Não posso acreditar que estou no mesmo lugar.
Mas não é responsabilidade minha.
Ainda assim levo um tempão para sair.

Capítulo 3
Ando pela mesma rua.
Há um buraco fundo na calçada.
Vejo que ele ali está. Ainda assim caio...É um hábito.
Meus olhos se abrem. Sei onde estou.
É minha responsabilidade.
Saio imediatamente.

Capítulo 4
Ando pela mesma rua. 
Há um buraco fundo na calçada.
Dou a volta.

Capítulo 5
Ando por outra rua.

Este, foi o texto que usamos na roda de conversas do segundo encontro e nos possibilitou uma rica troca de opiniões e experiências.
Em nossa vida quais são esses buracos?
Foram várias vertentes:
Obstáculos. Os quais temos que aprender a contornar.
Erros, situações e pessoas. Que sabemos não nos fazer bem e ainda assim, algumas vezes, caímos na mesma armadilha.
Sentimentos. Solidão, mágoa, carência, ciúmes e outros, que muitas vezes tomam espaço dentro de nós.
Quantas vezes fingimos que não o vemos, ou culpamos o outro por ele existir?
Estas foram apenas algumas das reflexões que fizemos, chegando ao consenso de que buracos sempre vão fazer parte da nossa estrada, já que na vida, andamos por vários caminhos.
Para sair é preciso querer, esforço próprio em atravessar a rua, mudar de calçada e colocar luz sob nossos passos.
Ao final, fizemos alguns exercícios de alongamentos e equilíbrio energético corporal, o que nos ajudou a serenar as emoções.

E você, o que pensou ao ler o texto ?


                         ( imagem google )













23 comentários:

  1. Que lindo texto e foi um maravilhoso estudo que ele proporcionou. Boas reflexões. Também pensei nos problemas ou pessoas que podem atrapalhar nossos caminhos e nós teimosamente repetimos, permitimos.Até que por fim caímos na real> Adorei! bjs,chica

    ResponderExcluir
  2. Muitas vezes cai nos buracos fundos do caminho...e habitei em muitos deles...quando me permiti ver a luz novamente, percebi, que buracos e obstáculos, se fazem necessários para darmos valor a vida, e ao sentido da luta e da sobrevivência... Reflexões que me abraçam nessa madrugada...

    ResponderExcluir
  3. Texto bom e com lições de vida...
    Devemos fazer boas escolhas e fugir do que não presta p nosso crescimento. Há coisas que precisamos descobrir, reconhecer e dar "dribles"... Sim, lembrar que podemos sempre decidir pelo melhor!

    Abraço e muita paz...

    ResponderExcluir
  4. Nada como aprender com os erros e com as experiências que a vida nos proporciona.
    Bela metáfora.
    Beijo da Nina

    ResponderExcluir
  5. eu interpretei este texto que por vezes por mais que vejamos as coisas e que sabemos que e errado voltamos a cair no mesmo erro ate ao dia que voltamos as costas e vamos por outro "caminho"

    ResponderExcluir
  6. Antes de mais quero dizer que gostei do nome deste cantinho; afinal somos seres viventes desta linda natureza que põe à nossa disposição quatro estações, diferentes mas belas na sua diferença. Quanto a este post,, como toda a gente, já cai em buracos, voltei a cair e com certez cairei mais vezes. Costuma-se dizer que temos sempre o poder de escolha, que a opção é sempre nossa. Creio que não é bem assim; a vida é um caminho que nem sempre é reto, liso e com bermas floridas ; há muitos cheios de curvas, buracos e com muito mato a impedir a nossa passagem. Claro que preferimos o outro, mas a vida nem sempre permite que façamos as nossas escolhas. Ha alturas em que, por comodismo teimamos em seguir sempre o mesmo , mas na maioria das vezes é a vida que nos empurra para os buracos de onde muitas vezes não conseguimos sair . Todos nos conhecemos pessoas que, por mais que queiram, que por mais força façam não conseguem sair do buraco onde cairam e muitos dos buracos para onde os empurramos. A vida é madrasta para muitos e, infelizmente a responsabilidade é das sociedades que visam só os lucros, os off-shores, o poder. Sabes, amiga, o que temos a fazer é caminhar sempre com muito cuidado, com os pés bem assentes no chão, tendo em conta que a vida sempre retribui aquilo que lhe damos. Se tivermos como regra fundamental, segundo Saramago, o nao fazer mal aos outros com certeza que o nosso caminho será mais fácil; caminharemos com a alma mais serena, o coração mais leve e os passos mais cautelosos; seria bom que ajudassemos os mais incautos a desviarem-se dos buracos e, principalmente, não sejamos nós, nunca, a abrir os buracos para que os outros neles caiamDesculp o "testamento", mas alongo-me sempre muito nos comentários. Aliás, este assunto "dá pano para mangas" e gostaria muito de poder fazer parte deste mulheres4estacões. Muito interessante. Obrigada,
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpa, mas faltou-me assinar. Gostaria também de agradecer a visita ao Começar de Novo que, como deve ter percebido está muito ligado ao Brasil, pais onde vivi, onde nasceram os meus filhos e onde ainda tenho os meus pais e irmão. Considero-me luso brasileira e por isso é sempre com muito gosto que recebo gente do meu querido Brasil, Beijinhos
      Emilia

      Excluir
  7. OI SÔNIA!
    PARA NIM, MOSTRA QUE, PODEMOS CAIR VÁRIAS VEZES NO MESMO BURACO POIS NOS É MUITO DIFÍCIL CONTORNÁ-LO, ATÉ QUE UM DIA, CONSEGUIMOS DESVIÁ-LO OU TROCAR DE CAMINHO.
    UMA REFLEXÃO INTERESSANTE.
    ABRÇS AMIGA
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Querida amiga

    Um texto precioso.
    Não o conhecia,
    mas parece
    que vivenciamos
    em algum momento de nossas vidas
    as cenas descritas
    em cada ato...

    Um imenso abraço para ti...

    ResponderExcluir
  9. Dr. Freud dizia que é preciso repetir incansavelmente ate que um dia nos damos conta que precisamos mudar... nao sei se é bem assim...mas as emoçoes humanas sao dificeis de serem trabalhadas...talvez Freud tenha razao...

    Bjos...

    ResponderExcluir
  10. Dr. Freud dizia que é preciso repetir incansavelmente ate que um dia nos damos conta que precisamos mudar... nao sei se é bem assim...mas as emoçoes humanas sao dificeis de serem trabalhadas...talvez Freud tenha razao...

    Bjos...

    ResponderExcluir
  11. Olá Sonia, boa tarde.
    As vezes penso que o hábito é uma zona de conforto, para não repensar os caminhos que andamos a fazer pela vida, nas responsabilidades não assumidas. E o medo aparece quando vê-se a necessidade de mudança. Parece que até gostamos do papel de vítima, já que caímos tantas vezes no buraco. É complexo. Tudo é uma questão de escolha, que tendemos a achar difícil. Beijo querida.

    ResponderExcluir
  12. Boa noite, Sónia.
    Minha querida, eu sou especialista em cair no mesmo buraco e, caio em um e em outro, logo a seguir.
    Há vidas que são feitas de muitos buracos, e a gente vai se deixando cair, vai se deixando empurrar...
    até um dia.


    bjn amg

    ResponderExcluir
  13. Me lembrou aquela frase sobre os barcos: são lindos e estão seguros no porto, mas não foram feitos para isso. Há que se velejar e cruzar oceanos, passar por tempestades até chegar a outro porto. Assim somos nós, poderíamos ficar seguros nos poupando dos perigos que é viver, mas é a vida perderia toda a sua beleza. O tempo nos ensina a desviar dos buracos e manter a beleza do desconhecido, que nos encanta e nos chama para seguir sempre em frente.

    ResponderExcluir
  14. A reflexão está fantástica e bem pertinente!
    Os obstáculos terão de ser contornados...à medida que forem surgindo!
    Boa noite e bj

    ResponderExcluir
  15. A reflexão está fantástica e bem pertinente!
    Os obstáculos terão de ser contornados...à medida que forem surgindo!
    Boa noite e bj

    ResponderExcluir
  16. A reflexão está fantástica e bem pertinente!
    Os obstáculos terão de ser contornados...à medida que forem surgindo!
    Boa noite e bj

    ResponderExcluir
  17. Um texto muito interessante e para reflexão. Uma excelente iniciativa.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  18. o advento do facebook fez os blogs perderem um pouco seu clima, sua força.
    Mas que bom voltar aqui...

    ResponderExcluir
  19. As colocações propiciam, de fato, uma saudável troca de experiências. O sentir individual, frente às situações vivenciadas, tem grande valor para todos, quando exposto. Creio que lidamos com os buracos de forma diferente, à medida que amadurecemos. Bjs.

    ResponderExcluir
  20. Não pensei em nada de especial,apenas gostei imenso do texto sobre essa rua!! Lindíssima postagem!!

    ResponderExcluir
  21. Comecei lendo o texto e no terceiro capítulo comecei a perceber que seria um texto desse género que referiu. É um texto exemplo de crescimento pessoal e gostei muito dele. Para guiar e inspirar, irei guardá-lo e tomá-lo como exemplo no futuro, sempre que me esquecer e cair sempre no mesmo "buraco" :)
    Beijinhos e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  22. Que belo encontro Sonia!
    Adorei a história, bem provocadora...
    Imagino que troca rica de experiências vocês devem ter tido!
    Bjs

    ResponderExcluir