Quem sou eu

Minha foto
O grupo Mulheres 4 Estações,nasceu do encontro de ideias de 3 mulheres, ao perceberem em si o quanto é prazeroso e enriquecedor a troca de vivencias, já que tantas vezes nos reconhecemos no pensamento e sentimento alheio. Então veio o desejo de compartilhar essa experiencia com outras mulheres..... e assim como a natureza se reveste das estações para se revelar aos nossos olhos,nós nos revestimos do falar e ouvir, para nos revelar a nós mesmas.........

sábado, 20 de agosto de 2016

ENCONTRO DE AGOSTO

"Numa terra em guerra havia um rei que causava espanto. Sempre que fazia prisioneiros, não os matava: Levava-os a uma sala onde havia um arqueiro do lado de uma imensa porta de ferro, sobre a qual viam-se gravadas figuras de caveiras cobertas por sangue. Nesta sala ele os fazia enfileirar-se em círculo e dizia-lhes então:

- Vocês podem escolher entre morrer a flechadas por meus arqueiros ou passarem por aquela porta que será trancada logo após sua passagem.

Todos escolhiam serem mortos pelos arqueiros. Ao terminar a guerra, um soldado que por muito tempo servia ao rei se dirigiu ao soberano:

- Senhor, posso lhe fazer uma pergunta?

- Diga soldado.

- O que havia por detrás da assustadora porta?

- Vá e veja você mesmo.

O soldado então, abre vagarosamente a porta e, na medida em que o faz, raios de sol vão adentrando e clareando o ambiente. E, finalmente, ele descobre, surpreso, que a porta se abria sobre um caminho que conduzia à liberdade!!! O soldado, admirado, apenas olha seu rei, que diz:

- Eu dava a eles a escolha, mas preferiram morrer a se arriscar a abrir esta porta". 

(Desconheço autoria)

Essa foi a parábola que usamos na reunião que tivemos ontem. 
Ao ler, cada qual o interpretou de  forma diferente, baseada em sua vivência.
Medos, sonhos, oportunidades, limitações, realizações, arrependimentos, escolhas, foram palavras chave atribuídas  na leitura pessoal de cada uma ,  o que  nos possibilitou tecer uma rica troca de experiências.
Após a roda de conversas fizemos um  exercício com tapotagem e finalizamos com uma visualização, ao som de uma música xamanica e essência de lavanda borrifada no ar.


                                imagem google

17 comentários:

  1. Linda par´[abola essa e sem dúvida, um belo tema...Escolhas...beijos, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Bom dia meninas! Essa mensagem é um alerta para todos nós. O medo sempre nos impediu de alçar voos; escolhemos na maioria das vezes, caminhar junto ao solo, olhando para o céu que poderia nos libertar das angústias que carregamos. Abrir uma porta é realmente assustador !

    ResponderExcluir
  3. É realmente uma mensagem forte, intensa que nos chacoalha e isso é muito bom.
    Hoje fotografei lavandas.
    Borrifadas perfumadas na semana que inicia!

    ResponderExcluir
  4. Medo, então, a ilusão! Não conseguimos refletir. Muito bacana esta reflexão.
    Não conhecia a tapotagem. Vi um vídeo e, também, achei bem bacana.
    Sônia, beijocas bella e uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  5. Muito bela esta parábola. O medo de arriscar é sempre mau. A própria vida é um risco...
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Puxa, que beleza de conto! O medo do que vem é maior do que o medo da morte!Vim retribuir sua visita tão gentil e me deparei com uma linda história! bjs,

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito da parábola. O medo de enfrentar o desconhecido pode nos impedir de conhecer novos e belos horizontes.
    Obrigada pela carinhosa visita. Ainda estou dando um tempo no blog. Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Uau amiga...que texto espetacular e que nos leva a repensar!!! Bj

    ResponderExcluir
  9. O medo tolhe-nos em todos os aspectos da nossa vida. Temos medo do incerto, do desconhecido e temos até medo da reacção dos outros perante as atitudes que temos; esse medo impede tantas vezes que sejamos sinceros, que nos portemos de modo que nada tem a ver connosco. Hoje chegamos a ouvir jovens mulheres que se negam à maternidade pelo medo de não poderem dar aos filhos aquilo que acham necessario; já respondi a algumas que o que os filhos mais necessitam é de amor e atenção e não a quantidade de bens materiais que teimamos em dar-lhes. Temos medo do futuro e, por incrivel que pareça não é pelas guerras que aí estão mas sim por precisarmos de nos conter nos gastos que temos com coisas supérfluas. E assim vamos nós vivendo com medos que não têm razão de ser, embora concorde que há outros que nao podemos evitar. Considero-me uma pessoa muito pouco medroas, mas quem não tem medo de uma doença, quem consegue evitar o medo de assaltos tao violentos que hoje sofremos? Guerras assustam-me, do sofrimento tenho medo, uma doença grave num filho ou num neto me aterroriza. Amigas, muito interessante este tema que nos leva a reflectir nas consequências de certos medos na nossa vivência saudável. Um beijinho e tudo de bom.
    Emilia

    ResponderExcluir
  10. Gostari de corrigir ...que leva a que nos portemos

    medrosa. Desculpem esses erros. Bjo
    Emilia

    ResponderExcluir
  11. O medo do desconhecido é o maior dos medos!
    Beijo

    ResponderExcluir
  12. Belíssima Parábola, Sônia!

    Acredito que a singularidade é o
    ponto também, pois todos tiveram
    a tendência da repetição da escolha,
    com o motivo visceral do medo.
    Talvez seguir um caminho próprio
    leva a novos caminhos!...
    Abraço.

    ResponderExcluir
  13. O novo(o desconhecido ) nos traz medo, mas como podemos aprender sem ousar? Adorei. Com cerreza foi um lindo encontro. Este cheirinho de lavanda relaxa e acalma.Uso todos os dias 2 gotinhas em minha meditação. Feliz semana querida, beijinhos

    ResponderExcluir
  14. Puxa que lindo esse cantinho!
    Fiquei maravilhada.
    É um belo texto.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  15. Que lindo encontro deve ter sido...
    Adorei a história!
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. É uma maravilhosa reflexão, eu já conhecia e acho que o medo do desconhecido ainda impera na maioria das vidas. É muito difícil sair do conhecido e se arriscar, pois nunca sabemos o que encontraremos. Mas os que tentam e não desistem, acabam vencendo.
    Abraços esmagadores e feliz semana.

    ResponderExcluir
  17. Quanta coisa se perde, com medo de perder... uma frase Paulo Coelho, que me ocorreu de imediato...
    Quando afinal... quando se tem tudo a perder... é nesse instante que se deve arriscar... pois poder-se-á ter tudo a ganhar...
    Mais uma partilha sensacional, por aqui... sempre encerrando preciosas lições...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderExcluir