Quem sou eu

Minha foto
O grupo Mulheres 4 Estações,nasceu do encontro de ideias de 3 mulheres, ao perceberem em si o quanto é prazeroso e enriquecedor a troca de vivencias, já que tantas vezes nos reconhecemos no pensamento e sentimento alheio. Então veio o desejo de compartilhar essa experiencia com outras mulheres..... e assim como a natureza se reveste das estações para se revelar aos nossos olhos,nós nos revestimos do falar e ouvir, para nos revelar a nós mesmas.........

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

"A rosa"

Era uma manhã de um dia de semana, desses de céu aberto e muito sol. Um trabalhador dirigiu-se para seu local de trabalho.
Passando em frente a um templo religioso, decidiu entrar. Era uma sala muito ampla e ele sentou num dos últimos lugares, bem ao fundo.
Ali se pôs a fazer sua oração cheia de vida, dialogando com Jesus.
Ouviu, então, em meio ao silêncio, uma voz de alguém, cuja presença não tinha percebido:Escute, venha aqui. Venha ver a rosa.
Ele olhou para os lados, para a frente e viu uma pessoa sentada num dos primeiros lugares. Levantou-se e a voz falou outra vez:
Venha ver a rosa.
Embora sem entender, ele se dirigiu até a frente e percebeu que sobre a mesa havia realmente um vaso, no qual estava uma linda rosa.
Parou e começou a observar o homem maltrapilho que, vendo-o hesitante, insistiu: Venha ver a rosa.
Sim, estou vendo a rosa, respondeu. Por sinal, muito bonita.
Mas o homem não se conformou e tornou a dizer:
Não, sente-se aqui ao meu lado e veja a rosa.
Diante da insistência, o trabalhador ficou um tanto perturbado. Quem seria aquele homem maltrapilho? O que desejaria com aquele convite?
Seria sensato sentar-se ali, ao lado dele? Finalmente, venceu as próprias resistências, e se sentou ao lado do homem.
Veja agora a rosa, falou feliz o maltrapilho.
De fato, era um espetáculo todo diferente. Exatamente daquele lugar onde se sentara, daquele ângulo, podia ver a rosa colocada sobre um vaso de cristal, num colorido de arco-íris.
Dali podia-se perceber um raio de sol que vinha de uma das janelas e se refletia naquele vaso de cristal, decompondo a luz e projetando um colorido especial sobre a rosa, dando-lhe efeitos visuais de um arco-íris.
E o trabalhador, extasiado, exclamou: É a primeira vez que vejo uma rosa em cores de arco-íris. Mas, se eu não tivesse me sentado onde estou, se não tivesse tido a coragem de me deslocar de onde estava, de romper preconceitos, jamais teria conseguido ver a rosa, num espetáculo tão maravilhoso.
 (Autor desconhecido).

5 comentários:

  1. Linda mensagem e profunda liçao! Ter a coragem é preciso.Por vezes, poucos metros fazem a diferença num olhar! bjs,chica

    ResponderExcluir
  2. Que lindo! Adorei a mensagem, que diferença faz uma pequena mudança em nosso ângulo de visão…
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Que lindo blog! Obrigada por me visitar, fiquei muito feliz.

    Aproximar-se sem medo e sem preconceito. Há tanto para aprender e para descobrir. Sim, uma lição de vida!

    Bom final de semana!

    Beijo no coração

    ResponderExcluir
  4. Que lindo poema , eu amei , sempre gosto de ler contos assim, eu contemplo muito a natureza e muitas vezes percebo o que muito desapercebidos não vêm ,o trabalhador teve sorte de chamar alguém sensivel para ver o espetaculo , eu chamo e depois ouço a frase a é isso?

    bjs e bom fim de semana.


    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. As vezes precisamos para e olhar a natureza com mais amor ,pois é ela que nos mostra o sentido da nossa vida.

    ResponderExcluir