Quem sou eu

Minha foto
O grupo Mulheres 4 Estações,nasceu do encontro de ideias de 3 mulheres, ao perceberem em si o quanto é prazeroso e enriquecedor a troca de vivencias, já que tantas vezes nos reconhecemos no pensamento e sentimento alheio. Então veio o desejo de compartilhar essa experiencia com outras mulheres..... e assim como a natureza se reveste das estações para se revelar aos nossos olhos,nós nos revestimos do falar e ouvir, para nos revelar a nós mesmas.........

domingo, 29 de dezembro de 2013

QUERER DE ANO NOVO



Que meu olhar se demore mais sobre os que amo e eu diga incontáveis vezes o quanto são importantes,

que eu tenha leveza para encarar os desafios, sem me deixar arrastar pela monotonia de alguns dias,

que eu estreite laços, desfaça nós, respeite o limite do meu corpo,das minhas emoções, reconheça minhas fragilidades e carências.


No novo ano,quero me encantar mais...amar mais...colorir os dias com sorrisos e afagos,

enfeitar um cantinho da minha alma com sonhos e esperanças, para quando  estiver triste,fatigada,
encontrar em mim mesma a força necessária para acalentar a dor, curar as feridas, reequilibrar os passos,

quero que minha fé e alegria pela vida,façam ninho em meu coração e que este ,sirva de pouso, ao "novo-começar".


(soninha4estações)

sábado, 21 de dezembro de 2013



Dezembro...Natal chegando...casas decoradas com enfeites natalinos, luzes por toda cidade, e como não poderia deixar ser, surge a ARVORE DE NATAL.

Tão colorida, com suas luzes piscando, trazendo alegria aos lares em todos os continentes.

Hoje me lembrei de uma pequena história, que fala de uma arvore. Não uma ARVORE DE NATAL, e sim uma simples arvore. Essa historia nos mostra uma maneira criativa de lidar com os problemas da vida e do trabalho, vamos a ela.

A árvore dos problemas

Autor desconhecido
Eu contratei um carpinteiro para me ajudar a restaurar uma velha casa de fazenda. Ele teve um dia de trabalho muito pesado. Um pneu furado fez com que ele perdesse uma hora de trabalho, sua serra elétrica pifou e, no fim do dia, o motor de sua velha camionete se recusou a funcionar. Ele permaneceu totalmente em silêncio, enquanto eu lhe dava uma carona até sua casa.
Ao chegarmos, ele me convidou para conhecer sua família. Quando nos dirigíamos para a entrada da casa ele parou frente a uma pequena árvore e tocou as pontas de alguns galhos com ambas as mãos. Assim que a porta abriu, ele mudou seu semblante totalmente. Sorrindo ele abraçou com alegria seus dois filhos pequenos e beijou sua esposa.
Quando ele me acompanhava até o carro, eu não resisti e perguntei qual o significado do que ele tinha feito quando passamos pela árvore antes de entrar em casa. “Oh, esta é a minha árvore dos problemas”, ele respondeu. “Eu sei que não há como evitar alguns problemas no trabalho, mas de uma coisa estou certo, problemas não devem entrar em minha casa, onde estão minha esposa e filhos. Então, eu simplesmente penduro os problemas na árvore antes de entrar em casa. De manhã eu os pego de volta” Ele sorriu e disse: “Uma coisa engraçada, quando eu os pego de manhã, eles são menos numerosos e menos graves do que eram quando eu os pendurei na noite anterior”.

E você? O que você faz com seus problemas no final do dia?
Leva-os para casa e os convida para a mesa de jantar?
Ao dormir, você permite que eles se deitem na sua cama e transformem seus sonhos em pesadelos?
A maneira como lidamos com nossos problemas diários tem um forte impacto sobre nossa saúde física e mental, sobre nosso desempenho profissional e, especialmente, sobre nossa vida familiar. Se deixarmos os problemas à solta, nossa mente tem a tendência de aumentá-los. Alimentados pelo nosso lado pessimista, problemas normais do dia a dia se transformam e assumem em nossa mente proporções que, na maioria das vezes, não correspondem à realidade dos fatos. As soluções parecem inalcançáveis e somos dominados pelo desânimo e pela falta de criatividade.


Pense nisso!

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

DESEJOS DE NATAL

Querido Papai Noel, nesse Natal meus pedidos serão diferentes, não pedirei paz, amor, felicidade, saúde e blá, blá, blá.
Desejo um Natal de "Sentidos". Isso mesmo, UM NATAL DE SEN-TI-DOS.
Quero um Natal, de tato, olfato, audição, paladar e visão.
Quero aproveitar os momentos, prestar atenção nos meus sentidos.
Quero parar e sentir, é isso mesmo quero parar e sentir.
Quero abraçar demoradamente meus amigos, cheirar o cangote da minha filhota, até ela cair na gargalhada, quero me lambuzar comendo manga, e ver com admiração a natureza ao meu redor.
Pensando melhor, Papai Noel,  a realização dos meus desejos só depende de mim... Então até o próximo ano, afinal , não posso perder tempo, tenho que buscar meu Natal de Sentidos.
Começarei apertando a mão do porteiro, olhando nos olhos da caixa do supermercado, ouvindo a gritaria matinal das maritacas, sentindo todos os perfumes do dia, e comendo um belo prato de brigadeiro sem culpa.
Ai... que delícia... com certeza terei um Natal real, um Natal de Gente, de Gente que sente e vive diariamente intensamente.

Ale4estações

Hoje muito Verão